24 de maio de 2009

ANTON WALTER SMETAK

Esta postagem está em processo de reformulação. Volte em breve!

Visite:
http://www.waltersmetak.com.br/



Máquina do Silêncio




Imprevisto


Colóquio






Vina

                                                                                                                                         Ronda
Três Sóis













10 comentários:

  1. Só agora à ler esse texto muito bem elaborado em seu blog. Atrás de todo compositor competente como sempre foram Caetano Veloso, Gilberto Gil e Tom Zé está um mestre ou vários mestres, foi o que pude perceber de Smetak e sua obra em vida, o que nos deixa um legado valiosíssimo. Parabéns por essa fonte de informações que para mim é de grande serventia, pois não conhecia a personagem principal desse texto. Abraços Roberto...

    ResponderExcluir
  2. Caro Fábio,
    obrigado pelo comentário. Eu não escrevi esse texto, transcreví do jornal Correio da Bahia. Acredito que a web constitui um depositório de arquivos relevantes a serem acessados, eliminando assim as barreiras de distância e tornando as informações mais dinâmicas.
    Estou muito ligado à obra de Smetak, por ter sido seu aluno e inspirado e até incentivado por ele quanto à construção de instrumentos, embora o meu trabalho se configure como uma vertente bem diversa.
    Concordo com você sobre a importância de Walter Smetak como mestre, aliás, as sementes que ele plantou estão bem enraizadas, apesar de o seu acêrvo não ter sido ainda bem aproveitado (no bom sentido, é claro).
    Abraços, meu amigo, continue pesquisando sobre Smetak e divulgue a sua obra.
    Roberto Luis.

    ResponderExcluir
  3. Para minha surpresa, um amigo meu dono de uma loja de cds aqui no centro de São Paulo estava lendo um livro sobre Smetak e estava bem surpreso com a obra do estrangeiro radicado na Bahia.

    ResponderExcluir
  4. Livro SOBRE Smetak ou DE Smetak? Agora você deve complementar a informação, se possível, citando o nome da obra.
    Seja como for, é natural que as pessoas não conheçam o pesquisador. Muitos anos já se passaram e bem pouco foi feito para promover o re(conhecimento) da sua proposta...

    ResponderExcluir
  5. Fiz um instrumento musical com uma cabaca e um cabo de violao em 1983. Apos 15 anos fiz mais 9 instrumentos e somente hoje vi detalhes da obra deste artista mestre do som. Sua obra deveria ser revivida nas escolas...

    ResponderExcluir
  6. Olá, Roberto.
    Estou procurando informações sobre o responsável e o local de salvaguarda do acervo de instrumentos de Smetack (especialmente os que foram expostos no MAM). Você sabe algo a respeito?

    Agradeço a atenção.

    Cordialmente,
    Pablo Maurutto

    ResponderExcluir
  7. baysmetak@yahoo.com.br

    Este é o email de Bárbara Smetak, filha do músico.
    Atc,
    Roberto Luis.

    ResponderExcluir
  8. Senti falta do nome de Vasco( Carlos Vasconcelos Domingues) de quem ouvi os primeiros louvores à genialidade de Smetak. Mas ele também morreu.

    ResponderExcluir
  9. Na trabalhosa elaboração de minha dissertação de mestrado,no estudo da música brasileira, me deparei com esta figura maravilhosa: Smetak. Um sopro de alento, uma nova alma a tocar meus pensamentos.

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante o relato biográfico. Em 73 ainda morava no Rio, quando subi de carona com um pequeno grupo de amigos até Salvador - pelo litoral,ficamos hospedados alguns dias com ele e sua familia, a esposa Julieta e filhos que nos receberam fraternalmente. Conversamos muito sobre música, Eubiose, viagens astrais e questões espirituais. Mas eu era muito novo,
    hoje acredito que aproveitaria melhor a experiência de conviver com toda sabedoria do velho músico iconoclasta e visionário.

    Há anos vi uma exposição em São Paulo - na Casa das Rosas, desses instrumentos criados por ele. Maravilhosos engenhos sonoros, muito bem trabalhados visualmente. Que essa coleção possa ser preservada e recuperada. Memória não morrerá. Romulo, artista plástico e arte-educador.

    ResponderExcluir