31 de dezembro de 2011

RAMIRO MUSOTTO: BREVE CRONOLOGIA

BREVE CRONOLOGIA SOBRE RAMIRO MUSOTTO (EM PROCESSO)

1963, 31 de outubro - Ramiro José Musotto, filho de Néstor Musotto e Susana Souto, nasce na cidade de La Plata, capital de Buenos Aires. Logo iria morar em Bahía Blanca, região da Patagônia.

1980 - O músico argentino Nestor Madrid chega a Salvador, com 22 anos de idade. Do bar Vagão, (onde surgiria a banda Rumbahiana, no mesmo ano em que Ramiro Musotto vem para o Brasil) Nestor iria direto para trabalhar no estúdio WR.

1982 (final) a 1983 - Ramiro Musotto vem morar no Brasil Brasil, inicialmente em São Paulo.

1984 - Ramiro Musotto permanece no Brasil, vindo morar em Salvador.

1984 - Ramiro já se apresenta em um trio elétrico, tocando percussão na Banda Salamandra, do bloco Camaleão, juntamente com Carlinhos Brown e Tony Mola.


1985 - Ramiro Conhece Daniela Mercury. Os dois viriam a trabalhar intensamente com música eletrônica, após alguns álbuns produzidos em estreita colaboração a partir de 1991.

1986 - Ramiro conhece Neguinho do Samba e Jackson (Mestre Jackson) e frequenta os ensaios do bloco Olodum, no Pelourinho. Ainda não eclodira o Samba Reggae, que estava em plena gestação nesse período.



1986/1987 - Ramiro Musotto faz a programação de bateria e percussão para o single Macuxi Muita Onda (Eu Sou Negão), de Gerônimo. Participa também dessa gravação o tecladista argentino Pedro Giorlandini.

1986/87 - Ramiro Musotto trabalha como músico, sonoplasta e arranjador, nos estúdios da WR, (gravadora de Wesley Rangel, que já tinha como sócio o músico argentino Nestor Madrid).


1987 - Gravação, na WR, de um dos primeiros discos de axé-music em que Ramiro Musotto toca percussão: Jorge Taime, O Luar de um Beija-Flor.

1987 - Luis Maria Arcodaci (Punta Alta, Argentina) vem morar em Salvador.
 

1988 - A Banda C.A.N.O.S. é fundada em Salvador, com a seguinte formação: Willy Wirth (baixista), Dominic Harry Smith (guitarrista anglo-brasileiro) e o baterista baiano Jorge Lima.
1988/1989 - Ramiro Musotto integra a Banda C.A.N.O.S., como baterista.
Nesse período, Ramiro já fazia parte da banda da cantora Margareth Menezes. 


1989 - Gravação do primeiro disco de Rey Zulu, o LP Minhas Origens. Ramiro participa tocando berimbau na faixa Odará. Dividindo a percussão nesse álbum, estão: Jackson, (Mestre Jackson) Putuca e Waltinho do Chiclete. A ficha técnica deste álbum credita ainda diversas outras funções a Ramiro Musotto, incluindo a direção musical.


1989 - Gravação do segundo disco da cantora Margareth Menezes, Um Canto Prá Subir - Ramiro cria um excelente arranjo de percussão para a faixa Hino das Águas, que inclui a kalimba, a percussão de surdos e repiques (bem no clima Ilê Aiyê) e já explora a multiplicidade de berimbaus diferentemente afinados e em poliritmia.

1990 - Ramiro Musotto compra em Nova Yorque seu primeiro Sampler, um AKAI MPC 60. Muito antes,  já estava fascinado pelas máquinas de rítmo, as baterias eletrônicas, como a máquina de ritmo Roland 808.

1991 - Ramiro toca percussão e assina, com 
Pedro Giorlandini, o arranjo na faixa Geléia Geral, do primeiro disco da cantora Daniela Mercury. Entre os músicos estão Pedro Giorlandini (Teclados), Julio Moreno (Guitarra) e Giba (Percussão).

1992 - Gravação de O Canto da Cidade, segundo disco de Daniela Mercury, produzido por Liminha. Ramiro participa dos arranjos e na percussão com o auxílio luxuoso de Putuca e
Jackson (que se tornaria conhecido como Mestre Jackson). É o início do sucesso estrondoso da cantora e do flerte com as linguagens eletrônicas, tendência evidente no seu trabalho, abrindo grande espaço para Ramiro contribuir com as suas habilidades.

1993 - Gravação do disco Luz Dourada, da cantora
Margareth Menezes. Nesse álbum, Ramiro constrói um dos mais interessantes arranjos usando apenas a percussão leve e os berimbaus harmônicos, no ijexá Chegar à Bahia, composição de Caetano Veloso.

1993 - Meninos do Pelô: álbum Adota Eu. Co-Produção: Daniela Mercury/Ramiro Musotto.

1993/94 - Ramiro está morando próximo a Luis Maria Arcodaci, no bairro da Pituba, em Salvador. Isso facilitaria ainda mais o andamento do projeto dos 'berimbaus melhorados' e dos 'novos berimbaus', desenvolvidos pelo engenheiro e amigo de infância.

1994 (meados) - Ramiro mostra a Luis Maria a gravação feita com Margareth Menezes, com vários berimbaus de tamanhos diferentes. Ramiro já estava obcecado pelo aperfeiçoamento desse instrumento e a criação da Orquestra de Berimbaus.

1994 - Música de Rua, terceiro álbum de Daniela, com produção de Liminha, que já começava a introduzir a programação eletrônica, junto com Ramiro Musotto.

1994 - (Dois anos depois de O Canto da Cidade) Ramiro vai morar e trabalhar no Rio de Janeiro. A essa altura, já é um dos músicos, produtores e arranjadores mais requisitados pelos grandes artistas.

1997-1998 - No período em que fazia shows com o cantor e compositor Lulu Santos, durante dois anos, Ramiro foi elaborando La Danza del Tezcatlipoca Rojo, o solo de berimbau que aparece (ao vivo) no álbum Liga Lá, do cantor, (1997) e posteriormente recebeu versão definitiva, no CD Sudaka


2001-2003 - O álbum Sudaka (versão estúdio) é editado nesse período e lançado em 2003.

2004 - Musotto está de volta a Salvador. A partir daí, o objetivo é consolidar os projetos pessoais e o trabalho autoral.

2005 - Primeira Orquestra de Berimbaus, na França: Ramiro Musotto Berimbao Modern Orchestra
2005 - Lançamento do DVD Sudaka Ao Vivo

2005, Maio a outubro - Berimbissimo.

2006 - Gravação do disco autoral Civilizacao & Barbarye.


2006, Janeiro - Ramiro ministra  Workshops de Samba Reggae na AMBAH, em Salvador.
1º Workshop: de 08/01/06 a 13/01/06
Workshop: de 22/01/06 a 27/01/06
2006, 17 de maio - Data de conclusão do NB, (Novo Berimbau) por Luis Maria Arcodaci - LUMAR.

2006, 21 de maio - Ramiro toca pela primeira vez em público o novo Berimbau LUMAR, abrindo o show da banda Sudaka no XIV Festival de Música Instrumental da Bahia. Teatro Castro Alves, Salvador.


2006 - A banda Afrosudaka, de Ramiro Musotto apresenta-se com Daniela Mercury no Trio Elétrico Expresso 2222.
 
2006 - VII Mercado Cultural - Ramiro Musotto: Música Eletrônica
Ramiro toca com o Coletivo Continental Breakfast, formado pelos percussionistas Arto Tunçboyaciyan (Armênia) , Karim Ziad (Argélia), Aziz Sahmaoui (Marrocos) e Ramiro Musotto (Bahia);

Participação com o Grupo Bagunçaço, (Jovens moradores de Alagados que tocam instrumentos confeccionados por eles mesmos) e o armênio Arto Tunçboyaciyan, no Solar Amado Bahia (Itapagipe).

2006 (final) - Lançamento do disco Civilizacao & Barbarye na Argentina.

2007 - Site Oficial: www.ramiromusotto.com

2007 - Ramiro Musotto participa da Cerimônia de Abertura dos XV Jogos Pan-americanos (CO - RIO). Como Co-Produtor,
músico, compositor (Tempos Alê Siqueira / Ramiro Musotto - Caco Discos/Páginas do Mar).

2008 (início) - Lançamento do disco Civilizacao & Barbarye no Brasil.

2008, 15 de julho - Canja com Naná Vasconcelos, no show em homenagem ao tombamento da Capoeira no Teatro Castro Alves. Homenagem à Capoeira como patrimonio cultural brasileiro, o espetáculo “A Benção Mestres” foi organizado pelo Ministério da Cultura e diversas outras instituições.




2009, 14 de abril -  Ramiro faz o primeiro teste do Berimbau Wayna Pichu.
2009, 16 de abril - Ramiro ministra um Workshop de berimbau no Museu de Arte Moderno da Bahia.
2009, 17 de abril - Ramiro apresenta um solo usando o berimbau Wayna Picchu na abertura do show da Orquestra de Berimbaus Afinados, no MAM.
2009, 24 de abril - Ramiro experimenta o Wayna Pichu, executando a música Dado, do álbum Saudades, de Naná Vasconcelos, após modificações feitas no instrumento, visando obter uma melhor tensão das cordas. 





2009, 11 de setembro - Falecimento em Salvador, Bahia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário