29 de dezembro de 2008

2000 a 2009


**2000**
Lançamento do livro: Jovem Guarda – Em Ritmo de Aventura, de Marcelo Fróes (Editora 34).
Carlos Lyra comemora 45 anos de carreira lançando o livro
Harmonia Prática da Bossa Nova
, com partituras e cifras de seus 17 maiores sucessos.
Acompanha um CD. Editora: Irmãos Vitale.
Abril
Sexta edição do festival Perc Pan - com direção de Gilberto Gil e Naná Vasconcelos - se divide entre Salvador e São Paulo. Em maio, realiza-se também em Paris.
Abril, 09
O jornal soteropolitano A Tarde promove, de abril a outubro, uma série no caderno de domingo, com o objetivo de debater os rumos da chamada axé-music, uma corrente surgida na música popular produzida na Bahia que ultrapassaria as suas fronteiras obtendo grande repercussão nacionalmente, em virtude da campanha maciça das mídias radiofônicas, e que se tornaria possível pela consolidação dos bons estúdios de gravação desenvolvidos em Salvador.
A criação do termo axé-music é atribuída ao jornalista Hagamenon Brito, numa conotação pejorativa. O certo é que este acabaria se tornando num dos mais bem sucedidos rótulos da indústria do entretenimento no País, causa e consequência do deslocamento do eixo da produção musical, antes concentrado no centro-sul.
"Música baiana - Para Onde?"
Julho
Lançamento do livro: A História Que Não Foi Contada (ed. Irmãos Vitale), de Elton Frans (espécie de empresário, assessor e organizador da agenda de Raul Seixas, de 1977 a 1990), com redação de Roberto Moura.
Setembro, 26
Baden Powell, um dos mais consagrados violonistas do mundo, morre, aos 63 anos. Carioca, a partir dos anos sessenta tornar-se-ia mais conhecido na Europa, onde passou a morar e produzir diversos discos (principalmente na Alemanha e na França).
Outubro
Lançamento do livro: Tropicalismo – Decadência Bonita do Samba, de Pedro Alexandre Sanches (Boitempo Editorial).
Relançamento do disco: Tom Zé, pela Sony Music (Primeiro LP de Tom Zé, de 1968). Reconstrução dos instrumentos experimentais criados pelo músico em 1978, usados na gravação de seu novo disco.
Novembro
Lançamento do site oficial dos Beatles.
30 anos da separação da banda e 20 anos da morte de John Lennon.
**2001**
"O progresso da biologia, descambando na genética, traz ao mundo o primeiro clone humano. Este fato pode tornar 2001 o ano mais importante de toda a história do Ocidente. O homem expõe a todos e ao vivo seu total destemor para com a morte, (ataques suicidas, atentados terroristas) e, ao mesmo tempo,decide clonar a si próprio e, assim, tornar-se também um "Deus".
(Marconi de Souza, in: A Tarde. Salvador, 30/12/2001)

O documentário Samba Riachão, sobre o sambista baiano, dirigido por Jorge Alfredo é considerado o melhor filme no 34º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o mais importante do país. A fita traça um perfil sincero e comovente de Riachão, resgatando a história do samba na Bahia. Autor de Cada Macaco No Seu Galho e outras composições já apontadas desde o Tropicalismo, o sambista ainda está à espera de ser validado e reconhecido pelo grande público.
No Brasil, o ano registra perdas e danos nas cena pop: Marcelo Yuka, baterista do Rappa fica paraplégico ao ser baleado num assalto; o "titã" Marcelo Fromer morre, trágicamente atropelado numa rua de São Paulo; Herbert Viana, em plena ascenção como músico, sofre grave acidente de ultraleve, no qual perde a esposa. E nos últimos momentos do ano, morre Cássia Eller, uma artista de personalidade única.
Tom Zé ataca de manifesto na Internet: Desenrock Clamejá.
A RCA faz 100 anos. Para comemorar, lança, no Brasil, 100 discos: 55 títulos originais (relançamentos), editados pela primeira vez em CD, e 45 coletâneas duplas.
Janeiro, 25
Baby Santiago (Gabriel Santos) radialista e locutor, morre aos 54 anos de idade. Radialista e locutor, paranaense radicado em Salvador a partir de 1975, destaca-se como um dos precursores do projeto de rádios FM em Salvador, com incursões também pela tevê. Sua contribuição é marcante na construção da identidade sonora renovada da cidade, em que as emissoras de rádio locais tiveram um importante papel, ao romper com as barreiras do mercado fonográfico nacional.
Gabriel Soares, o Baby Santiago: do Paraná para Salvador
Junho, 27
Roberto Pires (Roberto de Castro Pires) morre em Salvador, aos 62 anos de idade. O cineasta baiano contribuiu significativamente para o desenvolvimento do movimento denominado Cinema Novo.
Agosto, 06
Jorge Amado morre, em Salvador, quatro dias antes de completar 89 anos do seu nascimento.
Setembro, 11
Trágico acontecimento marca a humanidade e dá início a uma nova era: o ataque terrorista ao World Trade Center e ao Pentágono, nos EUA.
Novembro, 21
Waldeloir Rêgo morre em Salvador, aos 71 anos de idade. Iniciado no Candomblé, Waldeloir era ogã (espécie de mestre-de-cerimônias) do Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, desde 1968.
Novembro, 23,24,25
Realização da oitava edição do PercPan, o Panorama Percussivo Mundial, na Praça do Marco Zero, Recife Antigo, Pernambuco. O 8º festival tem direção musical de Gilberto Gil e do percussionista Marcos Suzano.
Novembro, 29
George Harrison morre, em Los Angeles, aos 58 anos de idade.
George Harrison, o Beatle mais novo
Dezembro, 11
Lançamento do livro Simbologia dos Instrumentos e da reedição,
em formato CD, dos dois discos de Walter Smetak.
**2002**
Cem anos da gravação do primeiro disco no Brasil.
Neste ano comemora-se 35 anos do início e 20 anos do fim do mais importante projeto fonográfico nacional, a Discos Marcus Pereira. Quando a gravadora acabou, seu precioso acervo foi parar com a gravadora Copacabana, que também encerrou suas atividades, terminando tudo em posse da pequena distribuidora ABW, que chegou a lançar muita coisa da Marcus Pereira em CD. A multinacional EMI comprou todo o acervo nas mãos da ABW.
Abril
O 9º festival PercPan, dirigido por Gilberto Gil e pelo percussionista Marcos Suzano, acontece em Salvador, com menores proporções que os anteriores.
Julho, 11
Luis Berimbau lança o CD independente O Mago.
(Clique para ampliar)
Consultar:
[http://www.samba-choro.com.br/s-c/tribuna/samba-choro.0207/0388.html]
**2003**
Janeiro
Gilberto Gil inicia sua gestão como ministro da Cultura do governo Lula.
Lançamento em Salvador da revista em quadrinhos
Dodô & Osmar # 1 - A Incrível História do Pau Elétrico.
Produzida pela Editora e Estúdio Cedraz, com trama baseada no relato de 
Aroldo Macedo e arte de Antonio Cedraz, a publicação tem 20 páginas coloridas em papel couché e é acompanhada do CD Filhos da Alegria, uma reedição do LP homônimo de 1996, com composições de Dodô e Osmar interpretadas por Gilberto Gil, Elba Ramalho, Carlinhos Brown, Alceu Valença, Luiz Caldas e Daniela Mercury,  entre outros.
Dodô & Osmar,
A Incrível História do Pau Elétrico (Guitarra Baiana)

CD Osmar Macêdo - Filhos da Alegria (Tributo a Osmar Macêdo)
(Eldorado 946075)

Maio, 05
Waly Salomão morre no Rio aos 59 anos de idade. Natural de Jequié - Bahia, era poeta, letrista, ensaísta, diretor artístico de discos e de shows musicais.
Waly é considerado um membro atuante da chamada "segunda geração do tropicalismo".
Co-autor de músicas como Mel e Talismã, ambas com Caetano Veloso e que viraram títulos dos discos de Maria Bethânia de 1979 (ultrapassando a marca de 1 milhão de cópias) e 1980, Anjo Exterminado (com Macalé, também título do disco de Bethânia de 72), Mal Secreto (com Macalé), Assaltaram a Gramática (com Lulu Santos, grande sucesso dos Paralamas), Balada de um Vagabundo (com Roberto Frejat, gravada por Cazuza).
Waly Salomão, baiano de Jequié
Junho
Descoberta uma fita de 1973, com a gravação de um show de Gilberto Gil
realizado na USP, em São Paulo, em protesto contra a morte de um estudante
pelos representantes da repressão, que dominava então o Brasil.
Junho, 06
Os Tincoãs em CD (reedição do 2º LP) patrocinado pelo programa
de incentivo cultural do governo do Estado da Bahia.
Surgido na década de 60, na cidade de Cachoeira, o grupo, de características vocais peculiares e estilo musical afro-brasileiro possui várias músicas de sucesso popular, como Cordeiro de Nanã, gravada por João Gilberto; Vieram me contar, por Martinho da Vila; Na beira do mar, por Carlinhos Brown, Vovó Clementina, por Benito de Paula e Dois, dois, por João Nogueira. Estas músicas foram gravadas pelo grupo em cinco LPs e quatro compactos.
Os Tincoãs, 2º LP reeditado


Deixa a Gira Girá
(Ponto de Umbanda, Adap. Mateus, Dadinho e Heraldo)

Odeon, 1973

 
Iê, ô
Iê, o
I, ô
Meu pai veio de Aruanda
E a nossa mãe é Iansã (bis)
Ô gira, deixa a gira girá
Ô gira, deixa a gira girá (bis)

Deixa a gira girá
Saravá Iansã

É Xangô e Yemanjá, Iê
Deixa a gira girá

(Trecho declamado em Yorubá)
**2004**
Outubro
Lançamento, em versão digital e sem os cortes impostos à versão de 78, do documentário Doces Bárbaros, do diretor Jom Tob Azulay.
Dezembro, 01
Gilberto Gil: Lançamento do DVD Outros (Doces) Bárbaros, show gravado em 2002.

Novembro, 29
Gilberto Gil: Inauguração do novo site do músico.
**2005**
Março,15
Morre o cantor, compositor, contrabaixista, Luis Berimbau, em Salvador.
Consultar:
[http://tempomusica.blogspot.com/2010/12/os-orixas-ildasio-tavares-e-berimbau.html]
Março,17
Bossa Nova e Outras Bossas – A Arte e o Design das Capas dos LPs,
livro de Caetano Rodrigues e Charles Gavin, patrocinado pela Petrobras, é lançado na Modern Sound, no Rio de Janeiro.
Amante do jazz e da bossa nova, o pesquisador Caetano Rodrigues, possuidor de um dos maiores acervos de discos de bossa nova do mundo, com mais de 1.500 LPs colecionados desde a década de 50, reúne no livro boa parte desse acervo.
"Felizmente conseguimos chegar bem perto do que idealizamos. No livro podem ser encontrados capas e dados de quase todos os long plays de bossa nova lançados no planeta. Escrevemos textos e restauramos digitalmente belíssimas imagens que contam um pouco da história de um dos períodos mais importantes da música popular brasileira", explica Gavin. Em formato de LP (30x30 cm), com texto de Ruy Castro e inserções de Caetano Rodrigues e Charles Gavin, o livro tem edição bilingüe e reproduz cerca de 700 capas de LPs dos anos 50, 60 e 70.
Capa do livro Bossa Nova e Outras Bossas

Setembro, 13
Hans Joachim Koellreuter (Freiburg, Alemanha, 02/09/1915) morre em São Paulo, aos 90 anos de idade. O maestro e compositor alemão foi mestre de Tom Jobim, Cláudio Santoro, Moacir Santos, Edino Krieger, Isaac Karabtchevsky, César Guerra-Peixe, entre outros.
Koellreutter
Na década de 40, ajudou a fundar a Orquestra Sinfônica Brasileira, onde foi primeiro flautista e naturalizou-se brasileiro (1948). Participou da fundação da Escola Livre de Música de São Paulo (1952) e fundou e dirigiu a Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, em Salvador (1954).

Koellreutter (ao centro) na fundação doSeminário Llivre de Música Departamento de Feira de Santana 1962
Foto - Arquivo da Escola de Música da UFBa.

**2006**
Junho, 17
Lino de Almeida (José Lino Alves de Almeida - 01/02/1958)
morre em Salvador aos 48 anos de idade.
"Sociólogo por formação e comunicador por opção".
Nascido no bairro da Liberdade, cresceu como ativista e precursor dos movimentos de reparação e resistência negra.
Foi um dos fundadores do MNU na década de 70, criou o Núcleo Cultural Afro-Brasileiro na mesma década.
Criou ainda o movimento de resistência negra Legião Rastafari, em 1981.
Pioneiro na militância através do reggae nas emissoras de rádio, atuou de 1980 a 2002 nas rádios Itaparica, Salvador FM, Globo FM, Bandeirantes e Tropical, sendo locutor e responsável pelo programa Rasta Reggae, de 1986 a 2000 (Itaparica e Tropical).
Idealizou o documentário e DVD A Bahia do Afoxé Filhos de Gandhy, agraciado em 2003 com o prêmio Petrobras Cultural.
Membro praticante no Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá como filho de Xangô, contribuiu também com o bloco afro Ilê Aiyê.
Representante da FDA pela Diáspora Africana - uma associação de Washington que defende a democracia racial.
Tornou-se também produtor bem sucedido no mercado fonográfico, com a produtora S12.
Lino de Almeida (à direita) em interação com Carlinhos Brown: um militante autêntico
Consultar:
[http://revistaafro.blogspot.com/2008/07/memria-de-lino-de-almeida.html]
[http://www.overmundo.com.br/overblog/a-memoria-de-lino-de-almeida]

Outubro, 26
Rogério Duprat morre em São Paulo, aos 74 anos de idade.
O naestro Duprat é conhecido principalmente por seu trabalho como artífice do 'som da Tropicália' , através das orquestrações do disco Tropicália ou Panis et Circensis, de 1968, entre outros arranjos e orquestrações, sempre solicitados pelos tropicalistas. Exemplo notável é o da confecção artesanal do som dos LPs que Caetano e Gil produziram antes de se exilar, cujas bases foram gravadas em Salvador e o restante foi Rogério Duprat quem se encarregou de elaborar, em São Paulo.
Rogério Duprat
Consultar:
[http://books.google.com.br/books?id=uDnpkIwebHEC&printsec=frontcover&source=gbs_navlinks_s#v=onepage&q=&f=false]
[Livro/CD de Regiane Gaúna - Rogério Duprat: sonoridades múltiplas, 2001]

**2008**
Janeiro
Gilberto Gil é o primeiro artista brasileiro com um canal exclusivo no YouTube.
Maio, 15
Gilberto Gil lança o álbum Banda Larga Cordel através da rede Internet.


Máquina de Ritmo
Letra e Música: Gilberto Gil


Máquina de ritmo
Tão prática, tão fácil de ligar
Nada além de um bom botão
Sob a leve pressão do polegar
Poderei legar um dicionário
De compassos pra você
No futuro você vai tocar
Meu samba duro sem querer

Máquina de ritmo
Quem dança nessa dança digital
Será, por exemplo, que o meu surdo
Ficará mudo afinal
Pendurado como um dinossauro
No museu do carnaval?
Se você aposta que a resposta é sim
Por Deus, mande um sinal

Máquina de ritmo
Programação de sons sequenciais
Mais de cem milhões de bambas
De escolas de samba virtuais
Virtuais virtuosas vertentes
De variações sem fim
Daí por diante, samba avante
Já sem precisar de mim

Máquina de ritmo
Quem sabe um bom pó de pirlimpimpim
Possa deletar a dor de quem
Deixou de lado um tamborim
Apesar do seu computador
Ter samba bom, samba ruim
Se aperto o botão meu coração
Há de dizer que é samba, sim

Máquina de ritmo
Processos de algo-ritmos padrões
Múltiplos binários e ternários
Quaternários sem paixões
Colcheias, semicolcheias
Fusas, semifusas sensações
Nos salões das noites cariocas
Novas tecnoilusões

Máquina de ritmo
Que os pós eternos hão de silenciar
Novos Anjos do Inferno vão pôr
Qualquer coisa em seu lugar
Quem sabe irão lhe trocar
Por um tal surdo-mudo do museu
E Bandos da Lua virão se encontrar
Numa praia toda lua cheia
Pra lembrar você e eu
Moreno, Domenico, Kassin
Assim meus filhos, filhos seus
E Bandos da Lua virão se encontrar
Numa praia toda lua cheia
Pra lembrar

Só pra lembrar

Só pra tocar
Só pra cantar
Só pra lembrar você e eu


© Gege Edições Musicais Ltda / Preta Music
video
Trecho de Depoimento de Gilberto Gil
Maio, 17
Zélia Gattai Amado (São Paulo, 02/07/1916 — Salvador, 17/05/2008) morre em Salvador aos 92 anos de idade. Expoente da militância política nacional durante quase toda a sua longa vida. Cinqüenta e seis anos bem vividos com o escritor Jorge Amado, com quem foi casada. Além de escritora, Zélia era também fotógrafa.

Zélia Gattai, Mãe Senhora, Jean Paul Sartre, Simone de Beauvoir e
Jorge Amado em histórico flagrante em Salvador.
Foto: acervo Fundação casa de Jorge Amado
(Clique para ampliar)
Julho, final 
Gilberto Gil pede demissão do cargo de Ministro da Cultura do governo Lula.
Agosto, 16
Dorival Caymmi (30/4/1914 - Salvador, BA) morre no Rio de Janeiro, aos 94 anos de idade.

Depoimento de Jorge Amado sobre Dorival Caymmi
Jorge Amado: "Caymmi representa um dos momentos mais altos da criação brasileira e da criação baiana, em particular."
Caetano Veloso: ..."cada canção dele é uma jóia, assim perfeita, e todo o clima dele é uma clima de quase uma sabedoria muito profunda que ele parece tertido desde sempre"...
Gilberto Gil: “A obra dele toda é quase que completamente dedicada ao modo baiano, à qualidade baiana, à paisagem baiana, ao coração baiano. O mais baiano de todos os que já conheci na vida. Tudo nele é especial”
Carybé: "O Axé de Opó-Afojá, Candomblé de Mãe Senhora, uniu três pessoas que hoje em dia são três irmãos de esteira — cada um tem uma esteira. Agora, um é Obá Onicoí, outro é Obá Olorum e o outro é Obá Onoxocum. Em português, seriam Dorival Caymmi, Jorge Amado e Carybé. E, aí nos unem laços assim secretos e misteriosos, não é?..."
Antonio Carlos Jobim: "O Dorival Caymmi é um gênio, uma pessoa assim que se eu pensar em música brasileira eu vou sempre pensar em Dorival Caymmi. Ele é uma pessoa incrivelmente sensível, uma criação incrível, eu digo isso sob o ponto de vista musical, sem falar do poeta e do pintor..."
“E assim adormece esse homem/Que nunca precisa dormir pra sonhar/ Porque não há sonho mais lindo do que sua terra”.
Com esses versos, da música João Valentão, o cantor e compositor Dorival Caymmi foi sepultado no Rio de Janeiro. O trecho foi lido por Dori Caymmi, seu filho mais velho. O cortejo foi acompanhado por cerca de 200 pessoas. Entre elas, os três filhos, Dori, Nana e Danilo, os músicos Gilberto Gil, Jorge Mautner e Fagner, a atriz Patrícia França, o ator Othon Bastos e o escritor João Ubaldo Ribeiro. O corpo foi sepultado sob aplausos.
Caymmi e o mar, sua maior inspiração
Agosto, 27
Stella Maris, (Adelaide Tostes Caymmi) ex-cantora e viúva de Dorival Caymmi, morre aos 86 anos de idade - 11 dias após a morte do compositor.
Stella Maris foi cantora de rádio e abandonou a carreira ao se casar com Dorival Caymmi, em 1940. Deixa três filhos: Nana, 67, Dori, 65, e Danilo, 60, sete netos e cinco bisnetos.
Stella Mares, na época áurea do rádio
Outubro, 30
Lançamento, em São Paulo, do livro
300 Discos Importantes da Música Brasileira, um painel da música popular gravada no Brasil entre 1929 e 2007.
Ficha técnica: Produção e organização: Charles Gavin / Textos: Tárik de Souza, Carlos Calado, Arthur Dapieve e Charles Gavin. Colaboradores: Caetano Rodrigues, Valdir Siqueira e Zecalouro / Design Gráfico: Silvia Ribeiro / Assistente: Clarice Ubá / Restauração digital de capas e fotos: Cilene Rosso / Elaboração, administração e coordenação geral: Mariza Adnet / Fotos: Francisco Pereira e arquivo do Jornal do Brasil.
Capa do livro "300 Discos Importantes da Música Brasileira"
**2009**
Janeiro, 08
Edith Oliveira Nogueira (Edith do Prato) morre em Salvador aos 94 anos de idade. A sambista baiana, conhecida por usar um prato e uma faca como instrumentos de percussão, participou do disco experimentalista Araçá Azul, de Caetano Veloso, com o samba Viola, meu bem na faixa Sugar Cane Fields Forever, uma colagem de sons. Dona Edith foi "mãe de leite" de Caetano, uma tradição muito significativa na nossa cultura, mas que vem se perdendo.
Miolo do CD Vozes da Purificação, 2002
Dona Edith do Prato e seu instrumento
Participação de Dona Edith do Prato no álbum Araçá Azul:


Sugar Cane Fields Forever (Viola Meu Bem) 

 

Vou-me embora pro sertão
Viola, meu bem, viola
Eu aqui não me dou bem
Viola, meu bem, viola
Sou empregado da Leste
Sou maquinista do trem
Vou-me embora pro sertão
Eu aqui não me dou bem
Ô viola, meu bem, viola. 

Consultar:
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/blog/sintoniamusical/?id=846010

Janeiro, 20
Exposição e show no Pelourinho, em Salvador, marcam o centenário de nascimento do multi-artista baiano Nelson Maleiro (20/01/1909 – 09/07/1982). Considerado um revolucionário da estética carnavalesca, Nelson foi um misto de artesão, carnavalesco, esportista, agitador cultural, etnólogo, artista plástico, músico, e construtor de instrumentos de percussão.
Nelson Maleiro, "O Gigante de Bagdá"

Fevereiro, 09
Centenário de nascimento de Carmen Miranda
(Maria do Carmo Miranda da Cunha - Porto, 09/02/1909 - Bervely Hills, 05/08/1955)

Carmen Miranda
Medalha comemorativa dos cem anos de nascimento de Carmen Miranda

..."Para homenagear o maior ícone pop do Brasil a Sony/BMG vai lançar um CD duplo com os sucessos da artista. E na São Paulo Fashion Week (18 a 23 de fevereiro) os fãs da Pequena Notável podem conferir a exposição Carmen Miranda para sempre.
Carmen Miranda é até hoje a cantora brasileira que mais fez sucesso no exterior. Dona de um estilo absolutamente único e particular, tanto na maneira de cantar como na performance de palco, teve uma vida de mito, cheia de glórias e dramas. Ela morreu em agosto de 1955, mas continuou sendo sempre lembrada por meio de shows e discos de homenagens, filmes, documentários sobre sua vida."
Trecho extraído do Blog do Gutemberg
[http://blogdogutemberg.blogspot.com/2009/02/centenario-de-carmen-miranda.html]
Carmen Miranda
 Abril, 03
Morre Jônatas Conceição (Jônatas Conceição da Silva: Salvador, 08/12/1952 - 03/04/2009), aos 57 anos de idade.
 Jônatas Conceição, Julho/2007
Militante da luta contra o racismo, buscou valorizar a identidade e a cultura negra através de sua ação, quer no movimento social (foi um dos fundadores do MNU: Movimento Negro Unificado na Bahia), na literatura, na atividade radiofônica, na participação no Carnaval ou na vida acadêmica.
Como escritor/poeta, priorizou sempre em sua obra a cultura negra:
Miragem de Engenho (1984), Outras Miragens (1992).
Sua pesquisa de mestrado intitulada Vozes quilombolas – Uma poética brasileira (EDUFBA/ILÊ AIYÊ, 2004) focalizou a poesia dos quilombos.
Antes (2000), já havia publicado, com Lindinalva Barbosa, a antologia Quilombo de Palavras.
Como radialista do IRDEB, produziu programas sobre a História da Bahia para a Rádio Educadora, além de apresentar um programa sobre música afro-brasileira, enfocando sobretudo o trabalho musical do bloco afro Ilê Aiyê, no qual era um dos diretores e também coordenador do Projeto de Extensão Pedagógica, atividade que incluía a elaboração dos Cadernos Educativos.
Jônatas Conceição

Nenhum comentário:

Postar um comentário