29 de dezembro de 2008

1990 a 1999

**1990**
A World Wide Web é criada por Tim Berners-Lee,
no Laboratório Europeu de Partículas Físicas da Suíça.
Ano da criação da banda elétrica do Ara Ketu, no estilo african pop,
gerando polêmica no meio cultural baiano.
Olodum lança o disco Da Atlântida à Bahia: O Mar É o Caminho. 
Enredo do carnaval: Do Deserto do Saara ao Nordeste Brasileiro.
Paul Simon convida o Olodum para tocar na faixa The Obvious Child. O álbum é The Rhythm Of The Saints.




Janeiro, 03

Ernst Widmer (Aarau, 25/4/1927) morre na sua cidade natal, Aarau (Suíça). O músico, compositor, regente e pedagogo, era radicado na Bahia desde 1956.
Fundou o "Grupo de Compositores da Bahia" (1966) e idealizou os Cursos de Música Nova e as Apresentações de Compositores da Bahia. 
Ernst Widmer: fugiu da frieza européia para o calor tropical, mas foi morrer "lá".
**1991**
Queda acentuada nas vendas ocasiona poucos
lançamentos de
discos de artistas nacionais.
Maria Bethânia: 25 anos de carreira, com 28 LPs gravados no período.
Tom Jobim e Dorival Caymmi apresentam-se juntos pela primeira vez,
acompanhados de Nana e Danilo Caymmi, no Rio Centro, RJ.
Lançamento de Música Popular do Brasil, coletânea de letristas editada por Bia Borges. A obra percorre 2 séculos do cancioneiro popular, de Domingos Caldas Barbosa a Cazuza.
Música neo-sertaneja, modismo que predomina, com
Leandro e Leonardo
como expoente máximo.
O primeiro CD da dupla vende 3 milhões de cópias em todo o país.

Olodum lança o disco The Best of Olodum,
e o enredo Da Atlântida à Bahia O Mar é o Caminho.
**1992**
Estabele-se a World Wide Web.
A gravação digital substitui, praticamente, o LP tradicional,
embora o custo dos CDs permaneça sensivelmente mais alto.
Em 9 anos a venda anual de CDs sobe de 800 mil para mais de 3 milhões, enquanto a venda de LPs cai de 300 milhões para menos de 5 milhões de unidades. O mercado de discos usados aumenta significativamente, uma vez que muitos usuários concordam com os comentários de alguns intérpretes sobre a "frieza" das límpidas gravações digitais. 

Daniela Mercury: O Canto da Cidade
O boom da música baiana, em termos de mercado fonográfico: 
Daniela Mercury atinge, com o lançamento do seu CD O Canto da
Cidade
, a marca de 1 milhão de cópias vendidas.


Olodum: disco A Música do Olodum. Enredo do carnaval: Índia, os Caminhos da Fé.
Música neo-sertaneja, depressiva, perde a vez para o contagiante samba-reggae, ou axé-music: o rítmo afro-baiano, de linguagem pop tem suas maiores expressões em Daniela Mercury, Olodum, Margareth Menezes.
Caetano e Gil completam 50 anos:
Caetano: LP Circuladô (síntese da carreira musical do autor,
que faz uma releitura de suas obra e recria canções alheias).
Gilberto Gil: Song Book Gilberto Gil (álbum triplo produzido por Almir Chediak, com 38 recriações das mais importantes músicas do autor, feitas por vários artistas).
Gilberto Gil: LP Parabolicamará (WEA Discos).
Carlinhos Brown lança o CD Bahia Black.

Agosto, 12
John Cage (Los Angeles, 1912) morre em Nova York. Mais discutido compositor vanguardista do século 20, para quem não existe silêncio absoluto e todo e qualquer ruído é musical. Criador do "piano preparado", suas controvertidas experiências abrem caminho para o minimalismo, a arte performática e outras modalidades de vanguarda. Uma de suas maiores fontes de aprendizagen é com o zen-budismo.
Novembro, 04

Carlos Imperial (ES, 1935) morre no Rio de Janeiro.
Compositor, produtor, jornalista, cineasta, irreverente "rei da pilantragem", é responsável pelo lançamento de cantores como
Elis Regina e Roberto Carlos (que estréia no disco com as músicas: João e Maria e Fora do Tom, ambas de autoria do conterrâneo Carlos Imperial).
**1993**
Com o surgimento dos browsers gráficos, a rede Internet começa a tornar-se um fenômeno de massa.
Olodum: disco O Movimento. Enredo do carnaval: Tropicalismo - O Movimento.
Lançamento da Timbalada.
Caetano e Gil lançam o disco Tropicália 2.
Êxito de Gabriel, o Pensador, com o rap; do grupo mineiro de rock Skank, revelação do gênero; da música neo-sertaneja e da música baiana, sobretudo com Daniela Mercury. 
Na área não comercial, o primeiro disco do paulista José Miguel Wisnik.
Disco Brasileiro, de Sérgio Mendes, com Carlinhos Brown
recebe o prêmio Grammy de World Music.
Crescente interesse por músicas folclóricas de todo o mundo, acompanhado de um movimento em favor de estilos mais acústicos.
Acentuada recuperação do mercado discográfico do Brasil, após um
período de desaceleração econômica na Europa e América do Norte.

 
O ano fecha com 45 milhões de discos vendidos, entre vinil, cassete e CD.
Pela primeira vez, a venda de CDs supera as outras modalidades.

Alcyvando Luz lança Bahia de Oxalá, o seu segundo LP, pela Fundação Cultural do Estado da Bahia.

 Bahia de Oxalá - LP 17095

Caetano Veloso e Xangai participam do disco (Fotos na contracapa)

Foto do encarte do LP: Mário Cravo Neto, Alcyvando, Zé Lins, Ildásio Tavares
(Clique para ampliar)


Novembro, 03
Leon Theremin (Lev Sergeievich Theremin, Moscou 1993) morre em Moscou. Cientista e inventor russo, criador de um dos primeiros instrumentos eletrônicos, inicialmente denominado eterofone e mais tarde rebatizado Theremin, em homenagem ao seu criador. Concebido para ser tocado sem contato, apenas com o movimento das mãos do executante sobre uma antena e próximo a um dispositivo metálico que controla o tom e a altura, o Theremin é considerado o primeiro sintetizador.
 Dezembro, 12
Nelson Babalaô morre dormindo em Salvador, aos 71 anos de idade.
**1994**
Elizabeth Cayres, socióloga baiana, em sua tese de doutorado, partindo de uma frase de Stockhausen - "tudo o que vibra faz música" - propõe que os tambores de diferentes partes do mundo remontam à origem do homem e guardam parentesco entre si. Para comprovar essa tese, cria o Panorama Percussivo Mundial - PercPan, cuja estréia ocorre no Teatro Castro Alves, em Salvador, com workshops e músicos procedentes de várias partes do mundo, compondo um "painel percussivo multi-étnico".
Venda de discos apresentam 40% de aumento em relação a 1993, em parte explicado pelos relançamentos em CD, dos acêrvos das gravadoras.
Ara Ketu consagra-se definitivamente, conquistando o mercado nacional,
com o hit: Ara Ketu Bom Demais.
Olodum lança o disco Os Filhos do Sol. Enredo do Carnaval:
Os Tesouros de Tutancamon.


O bloco Timbalada desfila pela primeira vez no carnaval, já com o seu primeiro CD lançado, no qual se destacam as músicas Mulatê do Bundê, Toque de Timbaleiro, Beija-flor, entre outras.
Caymmi: 80 anos. Obra regravada.
Caetano: Fina Estampa.
Raça Negra, Só Prá Contrariar.
Lulu Santos: disco Assim Caminha a Humanidade.
Pracatum Associação.
Chico Science grava o disco Da Lama ao Caos.
Março, 27
 
Camafeu de Oxossi (Ápio Patrocínio da Conceição) é sepultado em Salvador, aos 78 anos de idade.
Mestre de capoeira, foi fundador e presidente do Afoxé Filhos de Gandhy (1976 a 1982). Sobrinho de Mãe Aninha, filho-de-santo de Mãe Senhora, recebeu o posto honorífico de Obá de Xangô, Osi Obá Aresá no terreiro de candomblé Ilê Axé Opô Afonjá).
Camafeu, com Zélia e Jorge Amado

Abril, 25
Inaugurada a Fábrica do Carnaval, do Olodum.

Dezembro, 08
Tom Jobim (Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, RJ 1927) morre, aos 67 anos, em Nova York, um mês depois de lançar seu disco Antônio Carlos Brasileiro.
**1995**
Mercado fonográfico brasileiro registra o maior crescimento do setor em todo o mundo: 140% em relação a 1993. O Brasil torna-se o 7º mercado do mundo e passa a atrair a atenção das distribuidoras internacionais.
Só o Ara Ketu vende 100 mil CDs em apenas 5 dias.
Disco do Olodum: Sol e Mar / Ao VivoMontreaux-Suiça. (Olodum Dose Dupla).
Enredo do carnaval: Os Filhos do Sol.
O bloco Timbalada, já fazendo sucesso, lança o CD Cada Cabeça é um Mundo, com as músicas Toneladas de Desejo, Se Você Se For, Camisinha, Sambaê, etc.
Jorge Portugal  lança o CD Palavra.
Abril
Show Tributo a Tom Jobim, no Avery Fisher Hall, reúne Gilberto Gil, Mílton Nascimento, Gal Costa, Caetano Veloso, Sting e Caymmi.

**1996**
LP Osmar Macêdo - Filhos da Alegria/1996 (Tributo a Osmar Macêdo) - Gravadora Eldorado 946075
Gravado no Estúdio Duma (Salvador)
Direção musical: Aroldo Macedo
Arranjos de Armandinho e Aroldo Macedo
Texto da contracapa do LP, escrito pelo genial Osmar:
"Minha obra musical foi pequena. A atividade mecânica, que foi o sustentáculo da família, tolheu-me o tempo que poderia ter dedicado à música e se assim não fosse, hoje não estaria fazendo sorteios, para definir quem convidaria para participar da minha gravação. Perdoem-me os que ficaram de fora. Não foram esquecidos, continuam no meu coração e serei eternamente grato pelo que fizeram e continuam fazendo pela minha música "Trieletrizada".
São 13 composições, algumas com letras, do grande Moraes Moreira, que declama na última faixa, uma alegoria às minhas "bolações". Em outra faixa a poesia do inesquecível Jairo Simões. as demais com letra e música de minha autoria, dei parceria ao companheiro Dodô, assim como ele me deu a parceria na eletrônica.
A maioria das minhas composições foi instrumental, seguindo a linha do "Frevo Rasgado" de Nelson Ferreira. Espero gravá-las em outra oportunidade.
Nas capas dos Lps onde foram gravadas essas músicas, desde o carnaval 1975, faço carinhosa referência ao Frevo pernambucano, como peça fundamental na criação do Trio Elétrico. Faço do meu filho Alceu Valença aqui presente, mais um elo de amor com Pernambuco. A terra dos meus pais.
Ao encerrar quero agradecer a todos que tornaram a minha história musical, uma realidade, começando pelos consagrados mitos da Mpb, citados na capa e mais: Marcelo Brasileiro, Durval Lelys e toda equipe do  seu estúdio.
O meu agradecimento a você meu velho amigo Durval Tavares, que gerou esse filho maravilhoso, Durval Lelys, que leva o seu nome, o honra tanto e contribuiu para a realização deste LP.
Meus filhos Betinho, Armandinho, Aroldo e André.
A paciência das esposas Hebe, Socorro, Ângela, Guinha e Regina. Minha querida Marília.
Marquinho, que paciência!
E a confiança da gravadora Eldorado.
Osmar Macêdo."
Lado A - Faixa 01: Taiane

Alegria Desafia a Violência (Taiane) 
Vocal: Gilberto Gil

Música: Osmar Macedo - Letra: Moraes Moreira (1979)
(Primeiro registro vocal: Moraes Moreira)



Carnaval não brigo
Carnaval eu brinco
Desabafo com amor a minha dor
Alegria desafia a violência
E na seqüência do frevo eu vou
Eu chego lá
Cantando nosso enredo
Todo ano um novo hino
Novo e sem medo
A história desse povo lindo vai contar

Meu amor, meu bem, meu mal
Vou fazer de você rainha
Do meu carnaval a minha
Fantasia mais real
Eu serei pra você
Um rei, não sei o tal talvez
O bem, o mal que você fez
Mais um, quem sabe a multidão
De qualquer jeito é você que dança
Que bate, balança
No meu coração

Carlinhos Brown: Alfagamabetizado, primeiro disco solo,
lançado simultaneamente no Brasil e na Europa.
Olodum: disco Roma Negra, enredo: Os Filhos do Mar.
Daniela Mercury: disco Feijão com Arroz.
Fevereiro, 11
Pierre Verger, como era mais conhecido Pierre Edouard Leopold Verger (Paris, 04/1/1902) morre em Salvador.
Além do registro fotográfico que realizou através do mundo, o etnólogo tem importância fundamental como estudioso da cultura afroamericana, com diversos livros publicados.
Iniciado nos fundamentos das religiões de matriz africana, foi admitido como sacerdote Babalawo no Benin, onde estudou o Ifá, (oráculos através dos búzios, conchas) sendo rebatizado Fátúmbí ("ele que é renascido pelo Ifá"). Na Bahia, intitulado Oju Obá no Ilê Axé Opô Afonjá, foi reverenciado como "os olhos do rei Xangô"
Pierre Verger, Jorge Amado e Carybé: amigos e Obás de Xangô
(Foto: Zélia Gattai)
Pierre Verger: a presença amiga de Caetano e Gil
Foto: Arlete Soares (Clique para ampliar)
Após a leitura do romance Jubiabá, de Jorge Amado, Verger se interessou pela cultura local. Radicado na Bahia, tornou-se querido de grandes personalidades baianas como o próprio Jorge Amado, Mãe Menininha do Gantois, Gilberto Gil, Walter Smetak, Carybé, Mário Cravo, e muitos outros notáveis. 


Setembro, 23
Tião Motorista (25/4/1927) morre afogado na praia de Piatã, em Salvador. Sambista baiano com performance internacional, parceiro de Batatinha, Edil Pacheco, Ederaldo Gentil e Nelson Rufino, entre outros.

Novembro, 17
Show de inauguração do Candyall Gueto Square.
Chico Science grava o disco Afrociberdelia.
**1997**

A partir de 1997, os lançamentos de grandes gravadoras apresentam, na capa do CD, o selo holográfico com o termo FLAPF legítimo, para inibir a "pirataria" fonográfica.
Segundo dados da imprensa, dos 38 álbuns mais vendidos pela PolyGram em 1997, quatro são brasileiros, dos quais três são de artistas baianos: É o Tchan (2 milhões de cópias) Banda Eva (1,5 milhões de cópias) Netinho (1,2 milhões de cópias).
Início do Projeto Carnaval e Baianidade – Arestas e Curvas na Coreografia de Identidades do Carnaval Contemporâneo de Salvador, do pesquisador Milton Araújo Moura, baiano de Ilhéus. O trabalho, tese de doutoramento na UFBa, faz um mapeamento do repertório carnavalesco de 1975 a 2000, com 2.400 músicas catalogadas.
Oficinas comunitárias do Ara Ketu.
Michael Jackson grava video-clip no Pelourinho.
O Olodum lança o disco Liberdade, saindo com o enredo 200 Anos da Revolta dos Búzios.
Novos Baianos: CD Infinito Celular (Globo/Polydor).

Janeiro, 03

 
Batatinha, nascido Oscar da Penha (05-08-1924) morre em Salvador, aos 72 anos de idade. O compositor é mais um exemplo de talento ainda não reconhecido na medida exata do seu valor.

Batatinha em fotos de Maria Sampaio, 1990
(Clique para ampliar)
Imitação
Composição: Oscar da Penha (Batatinha)
1. Gilberto Gil - Voz e violão
2. Batatinha - Voz e Conjunto Instrumental

Ninguém sabe quem sou eu
Também já não sei quem sou
Eu bem sei que o sofrimento
De mim até se cansou
Na imitação da vida
Ninguém vai me superar
Pois sorrio da tristeza
Se não acerto chorar
Mesmo assim eu vou passando
Vou sofrendo, vou sonhando
Até quando despertar
Dona solução
Reveja meu caso com atenção
Esperança que é forte
Mora no meu coração 


Fevereiro, 02
Chico Science, mentor do movimento Manguebeat (Mangue Bit),
morre de maneira trágica, num desastre de automóvel, em Recife.
Chico Science: depois dele a música brasileira não foi mais a mesma
Junho, 30
Osmar Macedo, (22/03/1923) músico, engenheiro, um dos criadores do Pau Elétrico/Guitarra Baiana e do Trio Elétrico, morre em Salvador, após marcar presença no seu último carnaval, o "carnaval de Tieta".
Rogério Duarte, um dos artistas do Tropicalismo, aponta uma curiosa relação entre o conhecimento acadêmico e a produção cultural na Bahia: "O 
Osmar Macedo me disse que tudo que ele tinha aprendido sobre eletricidade tinha sido exatamente com o meu pai, o João Duarte Guimarães, que era um cientista. Ele ensinava "Medidas Elétricas e Eletromagnéticas".
Osmar Macedo e um dos instrumentos que dominava com maestria:
a guitarra havaiana

Retrospectiva da evolução do Trio Elétrico, talvez o maior legado cultural de Osmar Macedo:
video
Vídeo extraído de "Nosso Carnaval", site da TV Educativa - Bahia:
[http://www.carnaval.ba.gov.br]


O som da guitarra havaiana de Osmar, registrado numa faixa do álbum Sereia, da banda Asa de Águia:
Asa de Águia - LP Sereia - Columbia 758.215/2-476448 - 1994

Menina Lua
Composição: Levi Pereira/Durval Lelys

Interpretação: Banda Asa de Águia
Participação de Osmar Macedo (Guitarra Havaiana)


Outra participação instrumental de Osmar Macedo, tocando também a Guitarra Portuguesa, no disco do cantor e compositor baiano Fábio Paes:
Fábio Paes - LP Pensando na Alegria/1984

Vozes de Maio
Composição: Fábio Paes
Interpretação: Fábio Paes
Participação de Osmar Macedo (Guitarra Portuguesa e Havaiana)

Outubro, 01
Carybé: codinome emprestado de um peixe da Amazônia
Carybé (Hector Julio Paride Bernabó - Buenos Aires, 1911) morre aos 86 anos de idade, em Salvador.
Desenhista, gravador, pintor, ceramista, escultor, historiador, jornalista, pesquisador, escritor.
Detentor do título de Doutor Honoris Causa (UFBa)
, pela contribuição às artes na Bahia.
Roda de Samba (Serigrafia)
(Clique para ampliar)
Cidadão de Salvador, pela comenda recebida em 1963.
Avesso a todos esses títulos e vivendo definitivamente em Salvador a partir de 1961, assumia intensamente a baianidade.
Foto do acervo pessoal de Carybé:
com a esposa Nancy, no quintal da residência de Brotas.
(Clique para ampliar)
Iniciado no Candomblé em 1950, por Mãe Senhora, do Ilê Axé Opô Afonjá, quis o destino que sofresse um enfarte na noite de uma quarta-feira, após a reunião dos Obás de Xangô, no espaço sagrado do terreiro que freqüentava. Antes de falecer, como um autêntico personagem dos romances do amigo Jorge Amado ainda gracejou com a própria morte:
- "Puta que pariu, me fodi"
A Mulata Grande III - 1980 (Óleo sobre tela e papel)

**1998**
Carnaval da Tropicália (30 anos).
Tom Zé lança CD nos EUA, através de David Byrne.O álbum é escolhido pelo The New York Times como um dos melhores do ano, além de figurar na lista, da revista Rolling Stone, dos melhores discos da década de 90.
**1999**
O Brasil salta do 6º para o 2º lugar em "pirataria" fonográfica, perdendo só para a Rússia.
A pedido de cientistas ingleses, a banda londrina de rock Blur compõe Beagle 2, trilha sonora da missão espacial do mesmo nome, que será ouvida quando a nave pousar em Marte, em março de 2003.

O Ara Ketu desfila no carnaval com o tema: Ilê Ifé: 1ª Cidade Yorubá/Salvador, 1ª Capital do Brasil, homenageando os 450 anos de fundação da capital baiana.
Lançamento, no Brasil, do CD Com Defeito de Fabricação, de Tom Zé, pela Trama. Em Salvador, show de lançamento no Teatro Jorge Amado, em agosto.
CD A Confraria do Gordurinha marca os 30 anos da morte de Gordurinha.
CD–Tributo a Batatinha, Diplomacia (EMI)leva o Prêmio Sharp de melhor disco de samba do ano de 1998.
 
Junho, 30
O Projeto de Lei Nº 11.738/99 institui como Hino Oficial do Estado da Bahia o "Hino Dois de Julho", de autoria de Ladislau dos Santos Titara e José dos Santos Barreto. A letra enaltece o 2 de Julho de 1823, data que marca, na Bahia, a consolidação da independência brasileira.

Hino ao Dois de Julho

Musica: José dos Santos Barreto

Letra: Ladislau dos Santos Titara


Nasce o sol a 2 de julho

Brilha mais que no primeiro
É sinal que neste dia
Até o sol é brasileiro

Nunca mais o despotismo
Regerá nossas ações
Com tiranos não combinam
Brasileiros corações

Cresce, oh! Filho de minha alma
Para a pátria defender,
O Brasil já tem jurado
Independência ou morrer.

Nunca mais o despotismo
Regerá nossas ações
Com tiranos não combinam
Brasileiros corações

Salve, oh! Rei das campinas
De Cabrito a Pirajá
Nossa pátria hoje livre
Dos tiranos não será

 
Novembro, 23
Giluminoso - A Po.Ética do Ser, de Bené Fonteles.
Livro, CD inédito.
Lançamento em São Paulo.

2 comentários:

  1. Oi, Roberto!
    A Timbalada foi lançada em 1993, quando já preparavam o 1º CD.
    O bloco Timbalada desfilou pela primeira vez no carnaval de 1994 (com o 1º CD lançado, onde tinham as músicas "Mulatê do Bundê", "Toque de Timbaleiro", "Beija-flor", etc.).
    Para o carnaval de 1995 já lançavam o CD "Cada Cabeça é um Mundo", com as músicas "Toneladas de Desejo", "Se Você Se For", "Camisinha", "Sambaê", etc.).
    Abs,
    Luiz Vinícius
    luiz.vinicius@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Caro Luiz Vinícius,

    quando comecei a organizar a linha do tempo, era quase tudo em forma de tabela, talvez porisso algumas datas foram "trocadas" pelo olho, estava tudo um ano após, não é mesmo?
    Agradeço a sua intervenção, mais uma vez, era isso que eu esperava como um trabalho interativo quando dei o formato de blog. Ainda bem que você se propõe a ajudar, que bom seria se houvesse mais colaboradores bem embasados e atentos, não?
    @braços, sucessos!
    Roberto Luis

    ResponderExcluir